Carbopar Carbomil investirá mais de R$ 1,7 milhão em fase inicial de implantação da nova planta.

O projeto de extração de calcário da empresa Carbopar Carbomil Participações Mineração e Administração foi aprovado na quinta-feira, 14, pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema). O investimento anunciado na fase inicial de implantação será de R$ 1.752.551,00. O início das operações está previsto para 2019.

Unidade será destinada à produção de magnesita e seus derivados, na zona rural de Tabuleiro do Norte, no Vale do Jaguaribe, local onde a Carbopar já possui plantas de extração e beneficiamento de calcário. A nova planta ocupará 20 hectares de uma área total de 421 hectares.

A planta de extração terá lavra a céu aberto com bancadas de dois metros, fator característico de áreas com abundância desse minério. A empresa estima que a produção anual chegue a 3.240 toneladas R.O.M (de minério bruto), com regime operacional de 220 dias/ano. O volume total de minério disponível da área é de 2,7 milhões de toneladas. A jazida tem vida útil prevista de em mais de 500 anos.
Sustentabilidade

Segundo o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) feito pela empresa e aprovado pelo Coema, 23 comunidades estão na área de influência do projeto. A pesquisa apontou que 58% dos moradores são favoráveis ao projeto. Ainda de acordo com o estudo, 15 planos de controle e monitoramento ambiental serão executados pela empresa para reduzir os impactos e evitar perdas dos recursos naturais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui