BNDES aprova R$ 23 mi para projeto sustentável da Votorantim

0
3656
Unidade Votorantim Cimentos Salto de Pirapora - Foto: Reprodução Web

Projeto da Votorantim Cimentos visa substituir uso de coque de petróleo, como combustível dos fornos, por pneus usados, biomassa e resíduos industriais.

A Votorantim Cimentos teve aprovado um crédito no valor de R$ 23 milhões pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O empréstimo financiará a adequação de unidades industriais para o coprocessamento de resíduos industriais, pneus e biomassa, em substituição de parte do coque de petróleo utilizado como combustível dos fornos.

O investimento total nas fábricas é de R$ 43 milhões. As unidades beneficiadas localizam-se em Salto de Pirapora (SP) e Edealina (GO) e foram escolhidas para o projeto pela proximidade dos centros geradores de resíduos que podem ser coprocessados e por utilizarem mais de 80% de coque de petróleo como combustível.

Na unidade de Edealina (GO) serão utilizados pneus picados, resíduos industriais e biomassa triturada, com potencial de substituição de mais de 30% do total de coque de petróleo utilizado atualmente. Na fábrica de Salto do Pirapora (SP), o coprocessamento de pneus picados e biomassa triturada irá reduzir mais de 20% do coque de petróleo.

Alternativa acessível

A escolha dos pneus pela companhia se mostra como uma alternativa acessível, visto que cerca de 450 mil toneladas de pneus são descartadas por ano. Quando queimados, os pneus produzem a mesma quantidade de energia que o coque de petróleo, emitindo, contudo, menos dióxido de carbono.

Além de contribuir para a destinação adequada de pneus usados e de resíduos industriais, reduzindo passivos ambientais, o projeto diminuirá a emissão de gases causadores do efeito estufa nas unidades, propiciando, assim, maior sustentabilidade às suas atividades. A empresa deverá ganhar, ainda, com a redução do custo da produção do cimento. O projeto prevê a utilização, no futuro, de resíduos urbanos como combustível dos fornos.

Com informações do BNDES.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui