Mineradora está com as atividades paralisadas há dois anos e precisa de autorização para construir local onde serão depositados os rejeitos.

Vai ficar para dezembro a decisão sobre as licenças necessárias para que a Samarco construa um local para receber os rejeitos de mineração em Mariana (MG). De acordo com informações divulgadas pela Reuters, o adiamento da decisão por parte do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) de Minas Gerais ocorreu porque integrantes da equipe pediram vistas do processo, que poderá conceder licenças prévia e de instalação do projeto.

De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas Gerais, uma nova reunião está prevista para ocorrer no dia 11 de dezembro, quando os integrantes do Conselho vão debater o tema novamente.

Como já informado pela Revista Mineração, a Samarco pretende utilizar a cava Alegria Sul para depositar os rejeitos. No entanto, para usar o espaço, a Samarco precisará também de uma licença de operação.

Além do licenciamento da Alegria Sul, a Samarco precisa obter uma licença operacional corretiva de todo o complexo de mineração em Mariana, para voltar as suas atividades. Este último já foi protocolado junto à Semad e está em análise, mas ainda não há data prevista para conclusão.

A Samarco está com as atividades paralisadas desde o dia 5 de novembro de 2015, quando aconteceu o rompimento da barragem de Fundão. Os rejeitos destruíram o distrito de Bento Rodrigues, próximo à Mariana, provocando 19 mortes e atingindo o Rio Doce causando, como consequência, enormes prejuízos ambientais.

Veja aqui matéria especial da Revista Mineração sobre os dois anos do acidente em Mariana.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui