Dados foram divulgados pelo Ministério do Trabalho. No acumulado do ano, houve o fechamento de 328.539 vagas com carteira assinada, em todos os setores.

Pesquisa do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de 2017 mostrou que apenas no mês de dezembro, o setor extrativo mineral perdeu 2.330 vagas de emprego. A indústria de transformação, por outro lado, sofreu com o recuo de menos 110.255 postos ao longo do mês.

De acordo com o ministro do Trabalho substituto, Helton Yomura, mesmo com dados negativos, os resultados ainda são melhores em comparação com o mesmo mês de 2016 e 2015. “Nos dois anos as quedas foram bem maiores”, justifica.

Os dados do Caged, desenvolvidos pelo Ministério do Trabalho, foram divulgados nesta sexta-feira (26) e mostram que, no acumulado do ano, houve o fechamento de 328.539 vagas com carteira assinada, em todos os setores. Na comparação com o número de contratações e demissões, o ano fechou no negativo, com menos 20.832 vagas.

Outros setores que sofreram perdas em dezembro foram os de: Serviços (-107.535 postos), Construção Civil (-52.157), Agropecuária (-44.339), Administração Pública (-16.400), e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-1.808).

Por outro lado, o comércio também se destacou, com saldo positivo de 6.285 empregos, superando os números de 2016 e 2015.

O sudeste foi a região que mais perdeu postos, com menos 174.396 vagas de empregos negativas em dezembro. O sul vem em segundo, com -72.740 postos, seguido por centro-oeste (-34.808 postos), nordeste (-34.332) e norte (-12.263).

Minas Gerais foi o estado que mais sofreu com as demissões, com 36.446 vagas a menos, seguido por Rio Grande do Sul (-25.459), Paraná (-25.003), Santa Catarina (-22.278) e Rio de Janeiro (-15.578).

Destaques do ano

De acordo com o Caged, a geração de empregos formais foi liderada pelo comércio, com saldo positivo de 40.087 postos de trabalho. Também houve saldo positivo na Agropecuária, que abriu 37.004 postos em 2017, revertendo a queda de 2016 (-14.193 vagas); e em Serviços, com 36.945 novos postos, interrompendo as quedas de 2016 e 2015 (-392.574 e -267.927, respectivamente).

Por outro lado, a construção civil e a indústria de transformação tiveram as maiores reduções do ano, com -103.968 e -19.900 postos, respectivamente. O Caged não informou o balanço anual dos empregos do setor extrativista mineral.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui