Estado ficou em segundo lugar no país em arrecadação, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro.

No ano passado, o estado de São Paulo atingiu a arrecadação recorde de R$ 2,5 bilhões em royalties e participações especiais. Conforme informações do Informe das Participações Governamentais de Petróleo e Gás, da Secretaria Estadual de Energia e Mineração, divulgado nesta segunda-feira (5), o valor recolhido pela exploração de petróleo e gás no litoral paulista foi de R$ 1,4 bilhão para o governo do estado e R$ 1,1 bilhão para os municípios paulistas.

Segundo o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, o total representa um aumento de 70% em relação a 2016, quando foram arrecadados R$ 1,4 bilhão, somando estado e municípios. A arrecadação nacional foi de R$ 30,4 bilhões, 72% a mais do que os R$ 17,7 bilhões de 2016.

“O petróleo é uma atividade que gera uma cadeia completa de benefícios para os países, estados e municípios produtores, que vai desde o setor de pesquisa à produção de peças para a indústria. A geração de emprego e renda é muito forte e só tende a crescer no estado de São Paulo”, destacou Meirelles, por meio de nota.

A produção de petróleo e gás do Estado é oriunda de seis campos localizados na plataforma continental da Bacia de Santos no litoral de São Paulo. Atualmente, Sapinhoá, localizado no pré-sal, é o maior campo paulista.

Municípios

Segundo o Informe, as cidades que mais receberam os royalties de petróleo foram Ilhabela (R$ 440 milhões), São Sebastião (R$ 87,3 milhões) e Caraguatatuba (R$ 82,3 milhões). Juntas, elas representam 60% da arrecadação dos municípios.

O ranking das dez cidades que mais arrecadaram ainda é composto por Cubatão (R$ 61 milhões), Bertioga (R$ 50 milhões), Guararema (R$ 48 milhões), Ilha Comprida (R$ 34 milhões), Iguape (R$ 23,1 milhões) e Praia Grande e São Vicente (R$ 15,3 milhões, cada).

Ainda conforme informações divulgadas pela Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo, apesar de o estado ficar em terceiro lugar no ranking nacional de produção de petróleo e gás, ele também conseguiu a segunda posição nacional na arrecadação de royalties e participações especiais. São Paulo ficou à frente do Espírito Santo, que somou R$ 2,2 bilhões e atrás apenas do Rio de Janeiro, que arrecadou R$ 11 bilhões.

“São Paulo vem aumentando ano a ano a sua produção de petróleo e gás. Em poucos anos passamos de nono para terceiro maior produtor nacional e os royalties acompanham essa evolução representando uma importante arrecadação para o Estado e para os municípios paulistas”, pontuou o subsecretário de Petróleo e Gás do Governo de São Paulo, Dirceu Abrahão, por meio de nota.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui