Rio Tinto e Alcoa criam método que elimina emissão de gases

0
4696
Elysis é a joint venture criada por Rio Tinto e Alcoa, que irá desenvolver todo o projeto. Foto: Rio Tinto/ Divulgação.

Processo será aplicado na fundição de alumínio e está em desenvolvimento no Canadá.

A Rio Tinto e a Alcoa anunciaram na quinta-feira (10) um novo projeto que prevê tornar o processo de fundição do alumínio mais limpo. O sistema elimina efeitos diretos das emissões de gases do efeito estufa.

Nesta semana, executivos da Rio Tinto, Alcoa e Apple se reuniram com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau e com o primeiro ministro do Quebec, Philippe Couillard, para explicarem detalhes do projeto. Segundo comunicado divulgado pela Rio Tinto, esta pode ser “a inovação mais significativa na indústria do alumínio em mais de um século”.

Os executivos da empresa destacaram a importância do novo sistema. “Este é um processo revolucionário de fundição que pode fornecer redução de emissões de carbono. Baseia-se no papel fundamental que o alumínio tem no progresso humano, fazendo produtos infinitamente recicláveis, mais fortes, leves e eficientes”, destacou o presidente executivo da Rio Tinto, J-S Jacques. “Esta descoberta tem sido uma meta há muito tempo procurada pela indústria de alumínio”, acrescentou o presidente e CEO da Alcoa, Roy Harvey.

Para agilizar os processos de comercialização do novo projeto, Alcoa e Rio Tinto vão formar uma joint venture, a Elysis, que irá desenvolver o processo, planejado para começar a ser vendido em 2024. A sede da Elysis será em Montreal, com um centro de pesquisa para desenvolvimento e licenciamento da tecnologia. A empresa deve gerar, inicialmente, cem empregos diretos.

O governo do Canadá e a província de Quebec estão investindo 60 milhões de dólares canadenses (US$ CAD) na joint venture, enquanto a Apple investe US$ 13 milhões (CAD) e Rio Tinto juntamente com Alcoa, US$ 55 milhões (CAD).

Quando em plena operação, somente no Canadá, a tecnologia poderá eliminar o equivalente a 6,5 milhões de toneladas da emissão de gases nocivos ao meio ambiente. Isso representa aproximadamente 1,8 milhão de veículos leves a menos nas estradas.

“O anúncio de hoje irá reduzir significativamente a pegada de carbono do Canadá, e
fortalecerÁ a indústria de alumínio na América do Norte”, disse o primeiro ministro canadense, Justin Trudea, em nota.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui