Entre 26 de maio e 5 de junho, pesquisadores percorrerão todo o leito do principal afluente do Rio Doce; evento preparatório ocorrerá na próxima semana

Promover estudos sobre qualidade da água, uso e ocupação do solo, parâmetros hidrológicos, análise de sedimentos e identificação de fontes poluidoras. Compor esse retrato completo e inédito da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba, na Região Central de Minas Gerais, é o objetivo da Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio. A iniciativa, promovida em parceria pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba (CBH-Piracicaba), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), jornal Tribuna do Piracicaba e pela Universidade Federal de Itajubá (Unifei) – Campus Itabira, reunirá 16 pesquisadores que estudarão os 241 quilômetros do Rio Piracicaba, que é o principal afluente do Rio Doce. A bacia integra 21 municípios, onde vivem 1 milhão de pessoas.

A expedição percorrerá todo o leito do rio, desde a nascente, em Ouro Preto, até a foz, em Ipatinga, e terá início oficial em 26 de maio, com um evento programado para a Praça Minas Gerais, em Mariana, a partir das 9h. Na ocasião estarão reunidas autoridades, gestores que atuam com a questão hídrica, além de lideranças ambientais e sociais.

Além do trabalho científico, coordenado pela Unifei, a Expedição buscará a mobilização social em prol da revitalização da bacia e promoverá eventos de cunho socioambiental e cultural nas 21 cidades que serão visitadas. Os pesquisadores e equipe de apoio, que somam 24 pessoas, percorrerão os 241 quilômetros do Rio Piracicaba – parte navegando em caiaques, parte via deslocamento terrestre – em 11 dias, finalizando o trajeto em Ipatinga, em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. É na cidade do Vale do Aço que o Rio Piracicaba deságua no Rio Doce.

Além da Unifei, a inciativa conta com o apoio de 81 parceiros envolvidos direta e indiretamente na construção de políticas públicas de recuperação e preservação de recursos hídricos, como a Agência Nacional das Águas (ANA), comitês das bacias hidrográficas do Rio Doce e do Rio das Velhas e das 21 prefeituras e câmaras municipais das cidades que compõem a bacia. Também são parceiros da Expedição a Emater, Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Companhia de Polícia Militar de Meio Ambiente (Cia Mamb), Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG), Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e associações dos municípios do Médio Piracicaba (Amepi) e do Vale do Aço (Amva), além de diversas ONG’s e entidades da sociedade civil.

A Pesquisa

A Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio gerará o mais amplo diagnóstico já realizado na Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba e um dos mais completos do Brasil. Pesquisadores e mestrandos da Unifei do campus Itabira, acompanhados de outros especialistas, descerão o Rio Piracicaba e coletarão amostras de água e solo, além de fazer levantamentos sobre uso e ocupação do solo e identificar fontes poluidoras, como indústrias e pontos de lançamento de efluentes. Entre os parâmetros de qualidade da água que serão analisados estão pH, temperatura, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, turbidez, concentração de nitrogênio, fósforo, amônia, coliformes termotolerantes, sólidos totais e sílica solúvel.

A Unifei é reconhecida como um polo de estudos dessa temática, sendo uma das 14 universidades brasileiras parceiras da ANA na oferta do ProfÁgua, mestrado na área de gestão e regulação de recursos hídricos. Equipes do Igam acompanharão o trabalho para certificar a metodologia adotada.

Um laboratório móvel da universidade acompanhará a Expedição e ficará responsável por receber as amostras e iniciar a análise de alguns dos parâmetros ainda em campo. Pesquisas também serão desenvolvidas no laboratório da instituição localizado no Campus Itabira e pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Itabira, outro parceiro da Expedição.

Os dados obtidos serão comparados com os resultados de pesquisas realizadas em 1986, 1989, 1993 e 1999, que estudaram alguns dos parâmetros agora analisados. Todas as análises e resultados da pesquisa serão condensados em uma publicação técnico-científica, cujo cronograma de lançamento se encontra em construção.

Mobilização Social

Fortalecer a mobilização social em prol da recuperação da Bacia do Rio Piracicaba é um dos desdobramentos que a Expedição espera alcançar. Serão promovidos 24 eventos nas cidades percorridas, organizados pelas prefeituras por meio das secretarias de Meio Ambiente. A expectativa é de que 20 mil pessoas participem das ações socioambientais e culturais.

Desdobramentos

Além dos resultados esperados citados acima, cabe acrescentar que a expedição contribuirá para a Revisão do Plano de Bacia, projeto que será desenvolvido entre o segundo semestre de 2019 e primeiro semestre de 2020 pelo CBH-Piracicaba. Uma maior integração da bacia também é esperada como desdobramento da iniciativa.

Serão produzidos registro audiovisual de todo o percurso e das atividades promovidas, exposição fotográfica itinerante nas cidades da bacia entre 2019 e 2020 e a publicação de uma revista que trará a participação de cada município no projeto.

BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIRACICABA

· Localizada na Região Central de Minas Gerais, a bacia tem 5.465,38 quilômetros quadrados de área.

· 1 milhão de pessoas vivem na Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba.

· 21 municípios estão inseridos na área da bacia.

· O Rio Piracicaba tem 241 quilômetros de extensão.

· 7 rios compõem a rede de principais afluentes do Rio Piracicaba: Turvo, Conceição, Una, Machado, Santa Bárbara, Peixe e Prata. Ao longo do curso, o Rio Piracicaba recebe ainda a descarga de cerca de 100 córregos e ribeirões.

· O bioma predominante da bacia era a Mata Atlântica. No entanto, mais de 90% da cobertura vegetal original já foram perdidos.

· O Rio Piracicaba tem topografia acidentada e há alto índice de erosão.

· A Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba abriga o maior parque siderúrgico da América Latina, que, em conjunto com a mineração, forma a principal atividade econômica da região.

· Dentre as áreas de conservação ambiental englobadas pela Bacia do Rio Piracicaba estão a Reserva Particular de Proteção Natural do Caraça, com 10 mil hectares; o Parque Estadual do Rio Doce, com 37 mil hectares; a Reserva da Biosfera e a Unidade Ambiental de Peti e o recém criado Parque Nacional Serra do Gandarela.

EXPEDIÇÃO PIRACICABA – PELA VIDA DO RIO

· 21 cidades percorridas.

· 16 pesquisadores envolvidos.

· 08 colaboradores em atividades de mobilização, divulgação e apoio.

· 82 entidades parceiras, entre órgãos públicos, autarquias, empresas, ong’s e lideranças sociais e ambientais.

· Mais de 21 indicadores serão contemplados na elaboração do diagnóstico da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba.

· 24 eventos de cunho socioambiental e cultural promovidos.

· Projeção de 20 mil pessoas alcançadas diretamente durante os eventos.

SERVIÇO:

Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio

Pré-descida: 13 e 14 de maio – uma equipe da expedição percorrerá o leito do rio para mapear o percurso, identificar trechos navegáveis e não navegáveis, traçar rotas para as equipes que seguirão por terra e levantar todos os recursos de infraestrutura necessários à iniciativa.

Descida oficial: De 26 de maio a 5 de junho

Evento de Abertura: 26 de maio, a partir das 9h – Praça Minas Gerais – Mariana (MG)

Evento de Encerramento: 5 de junho (Dia Mundial do Meio Ambiente), a partir das 9h – Ipatinga (MG).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui