Usiminas embarca aço para projeto argentino

0
4662
Siderúrgica embarcou cerca de 16 mil toneladas de chapas e bobinas - Foto: Divulgação/Usiminas

Bobinas e chapas grossas serão usadas na produção de tubos de grande diâmetro para exploração de gás no campo Fortin de Piedra, na província de Neuquén.

A Usiminas é uma das fornecedoras de bobinas e chapas grossas para um projeto de exploração de gás na Argentina. Nessa semana, a siderúrgica embarcou cerca de 16 mil toneladas desses materiais para a fabricante de estruturas de aço, equipamentos e componentes de mecânica, Tenaris SIAT, na Argentina. Segundo informado pela Usiminas, os materiais serão utilizados para a fabricação de tubos com diâmetros de 18 a 36 polegadas para a exploração de gás no campo Fortin de Piedra, na província de Neuquén, no oeste do país. A expectativa é que a produção dos tubos seja iniciada ainda em setembro.

Conforme a Tecpetrol, empresa do grupo Techint e concessionária do projeto, serão perfurados aproximadamente 150 poços e construídas estruturas para tratamento e transporte de mais de 10 milhões de m³/ dia de gás, o que vai representar cerca de 10% da produção de gás da Argentina. O projeto terá investimentos na ordem de US$ 2,3 bilhões até 2019.

O material produzido pela Usiminas e que será utilizado no projeto é processado por um laminador de tiras a quente na Usina Cubatão. A Usiminas afirma ser a única siderúrgica na América do Sul capaz de produzir bobinas com largura superior a 1900 mm, necessária aos tubos de 24 polegadas API Grau X70. A empresa também diz ser a única homologada da região para a fabricação de chapas grossas para tubos API grau X70, com aplicação em óleo e gás.

“A Usiminas e a Siat estão repetindo uma parceria que deu certo em outro grande projeto de produção de gás. Entre 2014 e 2015, produzimos mais de 130 mil toneladas para o projeto Gasoduto Noroeste Argentino (GNEA)”, explica o gerente de contas da área de Vendas para Construção e Infraestrutura da Usiminas, Hermes Yoiti Hinuy.

Ainda de acordo com o gerente, a empresa segue com perspectivas positivas para novos fornecimentos para o setor. “Em razão da necessidade energética da Argentina, o governo vem anunciando novos projetos. Seguimos acompanhando o andamento das iniciativas para apresentarmos aos construtores os diferenciais dos aços da Usiminas”, diz ele.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui