Agora, empresa aguarda decisão da Justiça Federal para retomada plena das atividades.

O embargo da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará (Semas) à produção da Alunorte foi retirado. Conforme comunicado divulgado pela empresa nesta quarta-feira (16), o órgão emitiu uma nota técnica atestando que a refinaria pode retomar suas operações normais com segurança.

“A decisão da SEMAS é um reconhecimento importante de que as operações da Alunorte são seguras. Continuaremos o diálogo com as autoridades buscando a plena retomada de nossa produção”, afirmou o vice-presidente executivo da área de negócios Bauxita & Alumina da Hydro no Brasil, John Thuestad, em nota.

A retirada do embargo por parte da Semas ainda não é suficiente para a retomada imediata da operação plena da Alunorte, pois o embargo da Justiça Federal permanece válido. “A Alunorte informará a Justiça sobre a decisão da Semas”, disse a empresa em comunicado.

No dia 3 de outubro do ano passado, a unidade anunciou que encerraria as atividades, porém elas foram retomadas no dia 9, com 50% da capacidade, utilizando a tecnologia de filtro prensa para processamento de resíduos de bauxita.

Histórico

As operações da companhia foram afetadas após chuvas fortes nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2018 em Barcarena, que provocaram vazamento de rejeitos do depósito de resíduos de bauxita, de acordo com relatório do Instituto Evandro Chagas. A empresa, no entanto, diz que não houve transbordo ou vazamento e que não há indícios de contaminação.

Ainda segundo a Hydro, um estudo realizado por professores da Universidade Federal de Campina Grande concluiu que a Alunorte, do ponto de vista da gestão hídrica, pode produzir com segurança a 100% de sua capacidade.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui