Minério de ferro salta mais de 3%, puxado pelo aço na China

0
168
Foto: Divulgação/ Asia Metals.

Mercado de minério de ferro tem ficado atento à apertada oferta global desde o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG), em 2019.

Os futuros de referência do minério de ferro saltaram mais de 3% nesta terça-feira (20/04), na Ásia, ampliando os ganhos em meio a melhores margens siderúrgicas na China, maior produtora global de aço, e com dados de produção divulgados nesta segunda, pelas mineradoras Vale e Rio Tinto, ajudando no rali recorde.

O minério de ferro para setembro na bolsa de commodities de Dalian encerrou o pregão diurno com ganhos de 3,6%, a 1.100 iuanes (US$ 169,28) por tonelada, na quarta sessão consecutiva de alta. Na bolsa de Cingapura, o primeiro contrato, para maio, subia 3,8%, a US$ 183 por tonelada.

“Margens incrivelmente saudáveis para o aço na China foram a verdadeira força por trás da alta do minério de ferro ao longo da última semana”, disse Atilla Widnell, da Navigates Commodities em Cingapura.

Fortes preços do aço incentivaram siderúrgicas chinesas a continuarem elevando a produção, puxando a demanda por minério de ferro e levando os preços spot ao maior nível já registrado desde ao menos 2011, segundo dados da consultoria SteelHome.

A Rio Tinto informou que sua produção de minério de ferro no trimestre encerrado em março caiu 2% na comparação anual, enquanto a produção da brasileira Vale recuou 19,5% frente ao trimestre anterior (4T20).

A Vale assim precisará aumentar significativamente sua produção nos próximos trimestres para atingir sua meta de produção de 2021 de entre 315 e 335 milhões de toneladas.

O mercado de minério de ferro tem ficado atento à apertada oferta global desde o desastre de Brumadinho (MG) em 2019, quando a Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão se rompeu, e, consequentemente, levou ao fechamento de minas no Brasil para avaliações de segurança.

No aço, o vergalhão para construção na bolsa de futuros de Xangai fechou em alta de 1,2%.

 

Por Reuters.