Proposta é aumentar a capacidade de geração para 2 gigawatts.

A empresa de energia renovável EDF EN, do grupo francês EDF, quer elevar a capacidade de geração no Brasil para até 2 gigawatts. Esse é o principal objetivo dos investimentos de mais de R$ 6 bilhões que a companhia está realizando no país. A informação foi divulgada pelo CEO da empresa no Brasil, Paulo Abranches.

A EDF EN já tem projetos de energia solar e eólica de cerca de 600 MW na Bahia e em Minas Gerais, sendo 350 MWs já em operação e comissionamento e outros 250 MWs em construção, com investimentos totais estimados em R$ 3 bilhões.

De acordo com informações da Reuters, o executivo afirmou que o Brasil é um dos oito países considerados como prioritários para a EDF EN na sua estratégia de expansão global. O crescimento em energias renováveis da empresa também terá foco em países como Grã-Bretanha, Índia, China, França, Estados Unidos, África do Sul e Turquia.

“O Brasil é complexo, o que nos obriga a fazer uma ginástica e um pragmatismo grande, mas não tem lugar fácil no mundo”, comentou o executivo. Abranches destacou que a expansão da capacidade no Brasil será orgânica.

No Brasil desde 2015, a EDF EN iniciou a operação, nesta semana, da segunda das três fases do projeto do maior complexo solar fotovoltaico da América Latina, com potência acumulada de 284 MW, em Pirapora (MG).

Para a construção da usina solar Pirapora 1, parte do complexo, a EDF obteve um financiamento de R$ 529 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O crédito foi o primeiro concedido pelo banco para uma usina solar no país. A usina terá potência de 191,5 MWp

A especialista canadense em energia solar, Canadian Solar, possui 20% de Pirapora I em parceria com a EDF EN, que detém os outros 80%. A Canadian abastece a usina com módulos fabricados em São Paulo, atendendo a demanda do BNDES de utilizar conteúdo nacional.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui