Leilões de usinas feitos ao longo da semana mostram que, pela primeira vez, projetos de energia solar e eólica tiveram preços inferiores aos de usinas hidroelétricas.

Segundo a agência de notícias Reuters, nessa semana o Brasil concluiu a contratação de novas usinas de energia eólica e de geração solar pelo leilão A-6. Pela primeira vez, os preços foram menores do que os de hidrelétricas.

Até então, além de ser a principal opção de geração de energia no Brasil, o uso de hidroelétricas também era o mais barato. Conforme já divulgado pela Revista Mineração, o leilão de energia A-4 também foi realizado nessa semana e a queda dos preços na ocasião foi, segundo a Reuters, um dos principais motivos para as energias renováveis terem sido a opção mais barata.

“Tivemos quase dois anos sem leilão, então isso faz com que os fornecedores mergulhem o preço, e isso ajuda a explicar o preço baixo. Mas ainda assim, se você me perguntasse duas semanas atrás, eu não esperaria que rompessem patamares tão baixos”, afirmou o diretor da consultoria Excelência Energética, Erik Rego à Reuters.

Nessa quarta-feira (20), foi realizado o leilão A-6. Nele projetos eólicos chegaram a negociar a venda da produção futura por um preço médio  de R$ 98 reais por megawatt-hora, enquanto o recorde, estabelecido em 2012, era de quase R$ 119.

“A conjuntura favoreceu, a taxa de juros está caindo, isso acaba interferindo no resultado”, comentou Erik Rego.

Com informações da Reuters.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui