Potencial solar atrai investidores no Norte de MG

0
3098
Complexo fotovoltaico instalado no município de Pirapora (MG). Foto: Divulgação/EDF EN.

Empreendimentos contratados somam investimentos na ordem de R$ 2,2 bilhões.

Minas Gerais têm atraído o interesse de empresas que querem investir em energia solar fotovoltaica. De acordo com informações divulgadas pela Agência Minas, dos 94 empreendimentos contratados nos leilões de energia promovidos pelo Governo Federal em 2014 e 2015, 17 estão em território mineiro.

O estado perde apenas para a Bahia e conta com uma estimativa de investimentos de aproximadamente R$ 2,2 bilhões e uma previsão de faturamento, em valores presentes, nos 20 anos de contratação, de R$ 6,8 bilhões.

Para o superintendente de Política Mineral, Energética e Logística da secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), Guilherme Augusto Duarte de Faria, a longo prazo, a energia solar vai impactar positivamente as regiões carentes do estado, como Norte, Noroeste e Jequitinhonha.

“A instalação desses empreendimentos demanda mão de obra qualificada na região e também representam valorização da terra para os proprietários rurais, que passam a ter a oportunidade de arrendamento de parte de suas propriedades por períodos longos de 20 a 25 anos, complementando a sua renda tradicional advinda do agronegócio”, destaca.

Alguns dos principais motivos que tornam Minas um estado com grande potencial para este tipo de energia é o elevado índice de radiação solar, disponível praticamente o ano todos, e a localização geográfica central, considerando o sistema elétrico nacional.

Destacam-se ainda a disponibilidade de terras planas, degradadas ou de pouco utilidade e devidamente regularizadas sob o aspecto fundiário. Somente no Norte de Minas, um mapeamento com georreferenciamento identificou 120 áreas propícias para instalação de unidades de geração de energia.

Geração

Cinco empreendimentos já entraram em operação nas regiões citadas, todos no município de Pirapora. Juntas, as usinas geram uma potência total de 150MW, suficientes para atender 123 mil residências médias (consumo de 250 kwh por mês). O investimento nos cinco projetos foi de R$ 640,8 milhões.

Outros 12 empreendimentos estão previstos para serem instalados na região nos próximos anos. Oito já estão em construção, sendo quatro em Pirapora e quatro em Paracatu, com início de operação previsto para o primeiro semestre de 2018. O investimento total é de mais de R$ 1 bilhão.

As quatro restantes serão instaladas em Pirapora e Guimarânia e já estão contratadas, mas ainda não entraram em fase de construção.

Quando todos os 17 empreendimentos estiverem em operação, a energia gerada será equivalente ao consumo de aproximadamente 400 mil residências.

“Os investimentos em usinas de geração de energia solar fotovoltaica em Minas Gerais também geram efeitos positivos em sua cadeia de valor em várias regiões do estado, pois industrias tradicional do setor metal mecânico e eletroeletrônica passam a ter a oportunidade de diversificar sua produção para esse setor”, complementa o superintendente da Sedectes.

Com informações da Agência Minas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui