Dados constam no boletim InfoMercado mensal, divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, com informações dos primeiros nove meses de 2017.

A geração de energia eólica em operação no Sistema Interligado Nacional (SIN) entre janeiro e setembro de 2017, foi 28% superior à geração no mesmo período do ano passado. Os dados consolidados foram divulgados nessa semana por meio do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Segundo informações do documento, a produção das usinas da fonte chegou a 4.327 MW médios frente aos 3.383,5 MW médios entregues em 2016. Isso significa 7% de toda a energia gerada pelas usinas do Sistema no período em 2017.

Até o fim de setembro, a Câmara contabilizou 476 usinas eólicas em operação comercial no país que somavam 12.127 MW de capacidade instalada, incremento de 24,8% frente ao potencial das 381 unidades geradoras da fonte existentes em setembro de 2016.

Produção estadual

Estados do Norte e Nordeste – com exceção de um da região Sul – continuam liderando a produção de energia eólica no país, de acordo com informações do Boletim. O Rio Grande do Norte é o principal produtor, com 1.408 MW médios de energia entregues em 2017, 27,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em segundo lugar vem a Bahia, com 877 MW médios produzidos, 28,4% a mais, seguido por Ceará, que alcançou 609,5 MW médios, alta de 4,8%. Em quarto lugar está o Rio Grande do Sul, com 600 MW médios, produção 21,2% maior, e em quinto o Piauí com 496 MW médios, aumento de 57,8% frente à geração alcançada em 2016.

Os dados consolidados da CCEE de setembro de 2017 confirmam ainda o Rio Grande do Norte com a maior capacidade instalada, somando 3.455 MW, aumento de 17% em relação a setembro de 2016 quando a capacidade instalada era de 2.956 MW.

Em seguida aparece a Bahia com 2.264 MW (+29%), o Ceará com 2.036,2 MW (+8%), o Rio Grande do Sul com 1.778 MW (+17%) e o Piauí com 1.355 MW de capacidade, crescimento de 62% frente ao ano passado.

 

3 COMENTÁRIOS